5 ideias futuristas que se tornaram reais por causa da COVID-19

A pandemia da COVID-19 causou grandes mudanças nas nossas vidas. Desde pequenas restrições na rotina, como fazer caminhadas ao ar livre e ir aos nossos restaurantes preferidos até mudanças mais profundas como os métodos e as formas de trabalho.

As transformações passam pela política, relações sociais, economia, modelos de negócios e cultura. Refletir sobre essas mudanças e discutir como elas estão moldando nossa realidade é essencial para entender melhor como vamos ficar após isso tudo. Será que já podemos viver ideias futuristas?

Por isso,  talvez  a melhor pergunta não seja como o coronavírus vai impactar em nossas vidas, mas como ele está transformando nossa realidade. Quais são os cenários  que estão emergindo neste período e quais deles permanecerão?

Segundo o El País, os futuristas internacionais apontam o coronavírus como um acelerador de ideias futuristas. Com a chegada da pandemia, muitas ideias que ainda estavam na sua fase embrionária ou ainda com pouca adesão, ganharam destaque como trabalho remoto, educação a distância e cobrança de posicionamento social em empresas. 

A futurista Amy Webb em entrevista ao Newsday afirmou que a vida após a crise do vírus será diferente e questionou o que vamos fazer com isso, discutir as mudanças e adaptá-las para a nossa realidade ou ficarmos inertes? 

Por isso, neste artigo reunimos ideias futuristas, mas foram mais desenvolvidas e disseminadas durante a pandemia do novo coronavírus. 

Vamos lá? 

 

Restaurante fantasma

Restaurantes fantasmas, também conhecidos como restaurantes virtuais ou como estabelecimentos que realizam apenas entregas, já estão se tornando cada vez mais comuns. 

O modelo tradicional de negócios de restaurantes necessita de altos investimentos iniciais, grandes custos indiretos, o que dificulta a sobrevivência ou o crescimento das empresas. No entanto, restaurantes fantasmas são mais fáceis e mais baratos de manter, pois normalmente não exigem altos gastos e são mais fáceis de testar. 

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), 20% dos restaurantes fecharam por causa do isolamento social, então a alternativa foi se adequar ao delivery. A pergunta que fica: os restaurantes vão voltar a funcionar em seus estabelecimentos ou manterão apenas o delivery por causa da redução de custos? 

 

Viagens virtuais 

A indústria de viagens ainda segue como uma das mais afetadas pela crise do coronavírus Quando falamos sobre turismo, é inevitável surgir todo tipo de pensamento. Segundo a Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), o setor teve um prejuízo de R$ 3,9 bilhões em todo o país nos últimos meses. 

Diante do cenário delicado, as empresas estão adotando novas estratégias para driblar o problema e diminuir os prejuízos. A Grã Bretanha, Espanha e outros países europeus estão fornecendo acesso virtual à algumas das suas riquezas culturais. E a Argentina está incentivando a população a se proteger da COVID-19 destacando o turismo virtual por meio de um hotsite intitulado “A gente se vê em breve”.

Aqui no Brasil, São Paulo também ofereceu algumas opções virtuais por meio do #CulturaemCasa, um programa da Secretaria de Cultura e Economia de São Paulo. Nele, é possível ver exposições no Museu da Imagem e do Som, Museu Catavento e muitos outros.

Além desses, outras atrações famosas já ofereciam experiências virtuais, caso da Royal Academy of Arts, que disponibiliza imagens de todas as salas de seu arquitetônico prédio. 

 

Delivery por drone 

As medidas de isolamento social utilizadas para combater a pandemia do coronavírus também aumentaram a busca por soluções de entrega, como o delivery por drones, devido velocidade a diminuição de risco entre o contato do cliente e do entregador. 

A startup SMX Systems é a primeira a atuar no Brasil com drones  que transportam e entregam cargas leves. O serviço é prestado em Rifaina, cidade no interior de São Paulo que é cortada por um rio, e consiste na entrega de medicamentos.

Os equipamentos realizam entregas com segurança em um raio de aproximadamente 5 quilômetros. 

 

Experiências culturais imersivas 

 

Como uma alternativa ao isolamento social, artistas e produtores culturais começaram a apostar em shows e espetáculos online.  Esse movimento deve evoluir para experiências mais imersivas e que tentam conectar o real e o virtual. 

No Brasil a experiência mais recente aconteceu no festival de música Rock in Rio, em que estandes proporcionaram a imersão nos shows em realidade virtual, com vídeo 360º e áudio imersivo. 

Segundo o produtor audiovisual Fabio Hofnik, um dos organizadores do Hyper Festival Brazil,  o mercado brasileiro ainda está descobrindo as possibilidades da interatividade, seja ao vivo como usando tecnologias emergentes, como AR e VR. 

 

Trabalho remoto 


O home office já era uma realidade de muitos freelancers e de profissionais liberais, mas essa modalidade está crescendo ainda mais. Com a pandemia, cada vez mais empresas, de diferentes portes, passaram a adotar esse modelo no dia a dia.

Essa adesão já está mudando significativamente a forma como o trabalho é percebido, e levanta questões para as muitas empresas: é necessário mesmo juntar as pessoas em um mesmo ambiente para trabalhar? Fazê-las passar por espaços com grande aglomeração, como ônibus e metrôs, especialmente em horários de pico talvez não seja um opção em breve. 

 

O que mais podemos esperar?


Sabemos que alguns desses avanços podem parecer mais esperançosos e otimistas que outros e que outros despertarão uma curiosidade e um receio em cada um de nós, tanto pessoal quanto profissionalmente.

Ainda é cedo para saber quais deles vão apresentar impactos positivos ou negativos. O mundo está se movendo rapidamente e estamos cercados de ideias e novas perspectivas, por isso a melhor coisa que qualquer um de nós pode fazer é ficar atento e tentar aprender e se adaptar às novas descobertas. 

 

***

 

Todas essas ideias que citamos acima podem até assustar alguns, mas ela trazem inúmeras vantagens e podem apontar como será nosso futuro breve. A Covid-19 nos forçou a olhar para ideias que antes não eram necessárias serem desenvolvidas neste momento, mas que agora já podem chegar para ficar. 

Se você sabe de mais algumas ideias futuristas que estarão presentes cada vez mais nas nossas vidas, conta para a gente! Aqui na Mobister estamos sempre atentos às mudanças. Para receber novidades assim, assine nossa NEWS!

Até a próxima! 😀

Mobister

Marketing para tecnologia.